Letícia, da Uniube - set 5, 2018

Guia de carreira: veja como começar sua vida profissional da melhor maneira

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e nunca foi tão importante contar com um guia de carreira para fazer as escolhas profissionais corretamente.

Tudo começa com a escolha de uma profissão e da instituição onde fará sua formação. Concluir sua graduação e possuir um diploma universitário faz toda a diferença quando você for procurar emprego ou, caso já esteja no mercado de trabalho, conquistar um salário maior ou uma promoção.

Nesse contexto, conhecer um passo a passo para começar a carreira da melhor maneira pode facilitar o seu caminho para o sucesso profissional.

Por isso, neste artigo você encontrará um guia de carreira para auxiliar nessa sua jornada.

Confira!

Um guia de carreira para ter sucesso no mercado de trabalho

Existem dezenas de opções de cursos universitários e fazer uma escolha que vai influenciar grande parte da sua vida costuma gerar insegurança e medo.

A lista a seguir mostra como tomar a decisão sobre qual caminho seguir com consciência e tranquilidade.

Autoconhecimento é a chave

O primeiro passo no guia de carreira é trabalhar o seu autoconhecimento, ou seja, descobrir o que você gosta de fazer em termos profissionais, ou seja, quais são as profissões que você possui mais afinidade?

Para encontrar essa resposta você precisa se conhecer muito bem. Trabalhar com prazer é a chave para conquistar o sucesso em qualquer profissão. Então, para começar, pense nas seguintes questões:

  • quais atividades você gosta de realizar no seu tempo livre?
  • quais são suas matérias preferidas na escola?
  • quais os gêneros de filmes e livros que você mais gosta?
  • o que as pessoas costumam dizer que você faz bem?
  • para quais atividades as pessoas costumam pedir sua ajuda?

As respostas demonstrarão as atividades que você realiza por prazer e aquelas para as quais  possui um talento natural. Após responder a essas perguntas, procure fazer ligações com profissões em que você poderá desenvolver essas atividades direta ou indiretamente.

Também pode pedir para sua família e seus amigos responderem, afinal, são as pessoas que mais conhecem você e poderão contribuir com uma visão de fora para traçar seu perfil pessoal.

Pesquise sobre as profissões e o mercado

Após descobrir o que você gosta de fazer, o segundo passo no guia de carreira é olhar para as profissões relacionadas com essas características.

Pesquise sobre todos os aspectos relacionados às carreiras que chamaram sua atenção. Concentre-se em descobrir as habilidades necessárias para cada uma delas, bem como os cargos que costumam ser oferecidos para os profissionais da área.

Procure descobrir, também, como é o dia a dia de quem trabalha na área e veja se você se identifica com as atividades.

Algumas ações que podem ajudar você nesta pesquisa:

  • consultar as disciplinas dos cursos da área, para saber quais os conhecimentos exigidos;
  • conversar com professores e universitários prestes a se formar para colher informações sobre os cursos;
  • participar de eventos e palestras relacionadas a essas profissões;
  • conversar com profissionais que já atuam nas áreas de interesse.

Procure não cometer o erro de avaliar as profissões apenas baseado no salário oferecido ou na quantidade de vagas no momento da sua pesquisa. Essas condições podem mudar depois que você se formar.

Fazer uma escolha baseada na sua personalidade e na identificação com as atividades realizadas é muito mais seguro a longo prazo.

Invista em uma boa formação

Esse é um dos passos mais importantes do nosso guia de carreira. O mercado de trabalho oferece mais oportunidades para as pessoas com diploma universitário do que para aquelas que não possuem ensino superior.

Portanto, escolher uma instituição renomada, reconhecida pelo MEC, é essencial. Veja algumas das vantagens obtidas ao investir em uma formação universitária sólida:

  • visão do mercado: na Universidade você vai adquirir uma visão mais ampla da profissão escolhida e do mercado de trabalho, a partir dos estudos e do contato com os professores, que passarão experiências e melhores práticas;
  • salários maiores: quem cursa uma faculdade tem acesso a empregos que oferecem melhores salários e benefícios. Essas pessoas são consideradas mais aptas para ocupar cargos mais altos que demandam conhecimentos mais especializados;
  • especialização: a formação universitária é a base para você se especializar na área que desejar. Terminada a faculdade, você poderá continuar investindo na sua educação, por meio de pós-graduação ou MBA, que contribuirão ainda mais para o seu crescimento profissional;
  • reconhecimento: concluir uma graduação requer esforço e disciplina. Com o diploma de uma boa universidade em mãos, você terá o reconhecimento da família, dos amigos e, principalmente, do mercado de trabalho.

Guia de carreira - networking

Desenvolva seu networking

O networking é o próximo passo no nosso guia de carreira. Possuir uma rede de contatos profissionais é imprescindível, nos dias de hoje, para alcançar o sucesso profissional.

Por meio dele, você consegue estágios, empregos e promoções. O networking, mais do que trocar cartões, é a chance que você tem de ser notado e ficar mais próximo de profissionais de destaque.

Por isso, é melhor desenvolvê-lo o quanto antes.

Você pode fazer uma pesquisa de mercado para identificar quem são os profissionais que você deseja conhecer, onde eles trabalham e por que seriam contatos interessantes.

Essa busca não deve ser aleatória. É essencial que você tenha feito antes o seu plano de carreira, pois a escolha desses contatos será baseada em pessoas que possam alavancar esse planejamento.

Você pode começar conectando-se com esses profissionais no Linkedin, que é uma rede social voltada para networking profissional.

Participar de eventos como feiras, congressos, workshops e palestras também são excelentes oportunidades de ampliar sua rede de contatos, conhecendo pessoas da sua área de atuação.

Tenha Inteligência Emocional

A Inteligência Emocional é considerada uma das competências essenciais aos profissionais do futuro. Por isso, não poderia faltar no nosso guia de carreira.

Os profissionais de Recursos Humanos costumam repetir a seguinte frase: “você será contratado pela sua capacidade técnica e demitido pelo seu comportamento”.

Esse dito reflete a realidade de que é muito mais fácil capacitar tecnicamente um profissional que mudar um mau comportamento arraigado. Daí a importância de desenvolver sua inteligência emocional.

Assim, você será capaz de identificar e gerenciar suas emoções de maneira produtiva, facilitando a comunicação, aliviando o estresse e resolvendo os conflitos.

O problema é que o ensino formal não mostra nem ensina a importância de gerenciar nossas emoções para conquistar o sucesso profissional. Portanto, você terá que investir pessoalmente nisso.

Você pode começar identificando os comportamentos que estão atrapalhando você no seu dia a dia. E, depois, se esforçar em trocar esses comportamentos por outros mais produtivos.

Quer um exemplo da importância de desenvolver sua inteligência emocional?

Você passará a ter resiliência, que é a capacidade de não  deixar se abater pelos problemas que acontecem com você.

Quem possui essa característica consegue se recuperar mais rápido das decepções pessoais e profissionais, retirando o aprendizado necessário das situações e agindo para fazer melhor da próxima vez.

Em um mercado de trabalho tão sujeito às crises e ao desemprego, essa habilidade torna-se essencial para seu sucesso profissional.

A importância do plano de carreira

Outro passo essencial em nosso guia de carreira é a confecção de um plano de carreira. Planejar seu futuro profissional permite que você tenha expectativas mais realistas ao analisar os variados aspectos da sua carreira, considerando os prós e os contras dos caminhos a serem seguidos.

Todos os profissionais bem-sucedidos possuem em comum uma visão do que desejam no futuro. Essa visão deve estar alinhada com sua personalidade e detalhada na forma de um plano de carreira bem elaborado.

Você deve se perguntar onde e quando deseja chegar com a sua carreira, no curto, médio e longo prazo. Esses objetivos exigem preparo e quando você os organiza na forma de um plano, consegue visualizá-los com mais clareza e se sente mais motivado e comprometido para atingi-los.

O seu plano de carreira vai transformar seus sonhos em metas com prazos bem definidos, tornando mais fácil e organizada sua conquista. É como se fosse o norte do seu guia de carreira, servindo para direcionar o seu crescimento profissional.

Por meio dele, você consegue programar seus investimentos de tempo, energia e dinheiro para atingir os seus objetivos.

Se você não sabe como elaborar um plano de carreira, aqui estão algumas dicas para começar:

  • identificar os objetivos desejados no curto, médio e longo prazo;
  • pesquisar sobre as habilidades necessárias para alcançá-los. Aqui, você vai descobrir quais delas você já possui e quais precisará desenvolver;
  • estudar o seu mercado para alinhar os seus objetivos;
  • traçar as estratégias e ações necessárias, prevendo possíveis obstáculos;
  • executar as ações;
  • ter um olhar crítico para acompanhar os resultados e realizar os ajustes necessários no plano.

A elaboração e execução do seu plano exigirá planejamento, persistência, disciplina e paciência, pois é um processo gradativo. Portanto, lute contra aquela vontade irresistível de obter resultados imediatos.

Guia de carreira - planejamento de carreira

Os principais erros que podem atrapalhar sua carreira

Um bom guia de carreira é composto pelos passos que você precisa dar e, também, pelo que não deve fazer. A formação universitária é um período importante para desenvolver os hábitos que o tornarão um profissional respeitado no seu mercado.

Mas, para que isso aconteça, é necessário que você conheça os principais erros que jovens profissionais costumam cometer, para não entrar no mercado de trabalho com vícios que podem atrapalhar sua carreira.

Veja, a seguir:

1) abusar da linguagem coloquial: algumas pessoas costumam se comunicar no meio de trabalho da mesma forma que falam com seu círculo de amigos. Esse é um mau hábito que você deve evitar. Cada lugar possui uma comunicação mais adequada e que vai contribuir pela imagem que você vai passar.

Usar linguagem coloquial em uma entrevista de emprego ou mesmo em uma conversa informal com um profissional de uma empresa pode fazer com que você perca oportunidades;

2) não ter iniciativa: um profissional acomodado, que fica sempre esperando ser mandado para fazer suas obrigações, está cada vez mais desvalorizado pelas empresas. Em um mercado dinâmico e competitivo, as organizações esperam pessoas proativas e determinadas a entregar mais que o esperado. Portanto, comece a treinar essa característica desde a faculdade;

3) achar que já sabe tudo: muitos jovens profissionais terminam a faculdade pensando que já sabem tudo que precisam para serem bem-sucedidos no mercado. Na verdade, a faculdade é uma base de conhecimento que deve ser ampliada constantemente. Portanto, mantenha-se sempre atualizado sobre sua área de atuação e sobre o que acontece no país e no mundo;

4) vestir-se de modo inadequado: a faculdade é o ambiente mais democrático que existe em termos de moda. E isso pode deixar você achando que a informalidade é o padrão em todos os setores do mercado de trabalho.

Apesar de existirem ambientes em que o modo de vestir é tão flexível quanto na Universidade, como as startups, ainda existem empresas que definem um padrão de vestimenta que deve ser seguido, inclusive nas entrevistas de estágio e emprego. Portanto, tome cuidado e pesquise sempre antes de um encontro profissional;

5) não saber trabalhar em equipe: pessoas que têm dificuldade em dividir trabalhos, seja por serem centralizadoras ou por não gostarem de ouvir opiniões diferentes, terão muita dificuldade no mercado de trabalho.

As empresas estão valorizando cada vez mais os profissionais que sabem acrescentar às equipes, trocando ideias com pessoas de diferentes formações e personalidades e usando suas habilidades de forma complementar. Os trabalhos em grupo na faculdade são excelentes oportunidades para você começar a treinar essa característica;

6) resistência às críticas: se você não costuma ser aberto a receber críticas, levando-as para o lado pessoal e se irritando com as pessoas por conta disso, precisa rever seus conceitos. O feedback é uma prática comum nas empresas e deve ser visto como uma oportunidade de aprendizado e melhoria profissional. Essa é a melhor maneira de avaliar erros e acertos da sua atuação e contribuir para desenvolver sua carreira.

Conclusão

Agora você já sabe o que deve considerar para escolher uma profissão em que terá prazer em  trabalhar, aumentando as chances do seu sucesso profissional.

Seguindo esse guia de carreira, conseguirá iniciar sua vida profissional da maneira certa, atingindo seus objetivos.

Para ficar por dentro de mais dicas sobre o mercado de trabalho, acompanhe nossa página no Facebook!

Escrito por Letícia, da Uniube