Letícia, da Uniube - jan 2, 2019

Veja como se tornar um professor universitário

Quer ser professor universitário e não sabe por onde começar? Fique tranquilo, pois você está no lugar certo! Logo de cara, saiba que é possível fazer com que esse seu sonho se torne realidade.

Como tudo na vida, ingressar no mercado é algo que não acontece de forma instantânea. Vale a pena conhecer, antes de mais nada, quais são as vantagens e os desafios envolvidos no dia a dia de um professor universitário, para descobrir se é isso mesmo o que você está buscando.


Ainda, é preciso conhecer as etapas que você deve seguir para chegar até lá. Continue lendo o post para saber mais sobre como seguir essa carreira e quais são as principais vantagens dela!

O que é preciso para ser um professor universitário?

A profissão de professor universitário costuma ser apaixonante e recompensadora, em diferentes aspectos. Em primeiro lugar, o trabalho diário com o ensino e o compartilhamento de conhecimento trazem uma grande satisfação e funcionam como fatores motivadores para a escolha do ofício.

Além disso, é uma ocupação que costuma dar bom retorno financeiro.

Isso não quer dizer que a carreira seja fácil. Ser professor universitário é algo desafiador, pois não basta apenas ter vasto conhecimento sobre determinado assunto. Muita dedicação é necessária para saber lidar com a rotina das salas de aulas e participar ativamente de grupos de pesquisa, duas atividades essenciais para quem leciona em Universidades.

A tarefa de formar indivíduos capacitados é uma grande responsabilidade. Ao matricular-se em um curso universitário, o estudante está apostando e confiando na qualidade do ensino, que está diretamente relacionada com as competências da equipe docente.

Tanto que, hoje em dia, o mercado educacional é muito mais concorrido e, consequentemente, mais exigente em relação à qualificação dos professores universitários. Para dar aula na maioria das instituições de ensino, ter uma pós-graduação é pré-requisito.

Como escolher a pós-graduação

Se você pretende seguir a carreira de professor universitário, antes de tudo, você deve conhecer os tipos de pós-graduação para poder chegar lá. Eles são divididos em duas modalidades: lato sensu e stricto sensu.

Os cursos lato sensu dizem respeito às pós-graduações mais técnicas e aplicáveis no mercado — especializações e MBA. Por ter essas características, os cursos lato sensu são geralmente procurados por pessoas que já atuam no mercado e almejam melhorar seu desempenho profissional por meio da aplicação prática de conceitos e conhecimentos acadêmicos.

Já os cursos stricto sensu são mais apropriados para quem deseja ser pesquisador ou professor universitário, por serem mais voltados à academia. É nessa modalidade que se encaixam os cursos de Mestrado e Doutorado, por exemplo.

Para você ter uma ideia, de acordo com o Censo de Educação Superior, de 2007 a 2017, o número de docentes na educação superior cresceu cerca de 20%. Os dados da mesma pesquisa sugerem que eles vêm estudando cada vez mais: nas instituições de ensino da rede privada, a porcentagem de professores com Doutorado dobrou. Em 10 anos, o índice subiu de 12% para 24%.

Dicas para você se tornar um professor universitário

1. Encontre sua área de interesse

Dentro de qualquer curso ou carreira, há diversas disciplinas que fazem parte da formação dos estudantes. Por isso, ainda que você já saiba qual é a área em que deseja lecionar, é importante descobrir qual assunto mais desperta seu interesse. Assim, será mais prazeroso investir seu tempo para se aprofundar em um determinado campo do conhecimento.

2. Complemente sua bagagem de conhecimento

Quem deseja ser professor universitário deve estudar continuamente. Mais do que buscar as disciplinas da sua área de interesse, vale a pena complementar a formação com disciplinas relacionadas à didática e a diferentes metodologias de ensino.

Professor universitário - estudos

3. Invista em uma pós-graduação

Como já foi mencionado, ter uma pós-graduação é fundamental para quem tem a intenção de trabalhar como professor universitário. Aqui, o primeiro passo é fazer uma boa pesquisa sobre os tipos de pós-graduação, para escolher aquela que mais se adequa aos seus objetivos.

4. Crie um Currículo Lattes

No universo corporativo, todos os profissionais precisam ter um currículo para se candidatar a vagas de emprego. A academia também exige algo parecido de professores universitários e pesquisadores: o Currículo Lattes. Para cadastrar o seu, é preciso acessar a plataforma  do CNPq e registrar sua trajetória no ambiente universitário — títulos, artigos publicados, participações em grupos de pesquisa, entre outros.

Quais as principais vantagens da profissão?

Realização pessoal

Quem leciona tem um forte impacto não apenas na formação acadêmica dos estudantes, mas também na vida de cada um deles. Saber que está contribuindo diariamente com o futuro de várias pessoas é algo que faz com que os professores universitários consigam atingir um ótimo nível de realização.

Estabilidade financeira

Trabalhar como professor em Universidades é uma carreira que geralmente garante uma remuneração satisfatória, o que  acaba sendo um grande atrativo. Obviamente, isso depende de cada instituição de ensino. Na hora de buscar um trabalho, é preciso dar preferência às Universidades que realmente valorizam o trabalho do corpo docente.

Plano de carreira

Ser professor universitário pode significar ter uma trajetória profissional bastante promissora. Afinal, boa parte das Universidades possui planos de carreira bem estruturados. Isso quer dizer que o nível de qualificação e outros requisitos contribuem para o seu crescimento na área.

É possível manter outro trabalho

A quantidade de horas que cada professor universitário trabalha semanalmente depende da quantidade de disciplinas ministradas e pesquisas orientadas. Mas, como as aulas costumam acontecer no período da manhã ou da noite, é possível exercer outro trabalho.

Férias duas vezes por ano

É claro que não poderíamos deixar de mencionar a questão das férias, outro grande atrativo para quem está pensando em ser professor universitário. Enquanto nos demais empregos formais os trabalhadores têm direito a 30 dias de férias por ano, os professores podem ter um período de descanso maior, dividido em duas vezes. Isso porque as Universidades entram em recesso no meio e no final do ano letivo.

Lecionar no ensino superior é uma atividade desafiadora e exige que o profissional se mantenha sempre atualizado. Mas todo esse esforço é recompensado, já que a carreira de professor universitário costuma dar retorno, em vários sentidos!

Quer ficar por dentro das novidades do universo da pós-graduação e do mercado de trabalho? Siga a página da Uniube no Facebook.

Escrito por Letícia, da Uniube