Letícia, da Uniube - ago 22, 2018

7 mitos sobre a educação a distância em que você não deve acreditar

O ensino superior passa por um momento de transformação no Brasil. Em 2016 a modalidade presencial registrou queda no número de matrículas, mostrando um pouco da mudança de atitude dos interessados em cursar uma graduação. Porém, apesar de crescer como alternativa, ainda persistem alguns mitos sobre a educação a distância.


Muitas dessas informações desencontradas são causadas apenas pelo desconhecimento da realidade da EAD. Outras ainda revelam um preconceito com esa maneira de aprender, como se fosse inferior aos métodos tradicionais, de professor e aluno em sala de aula.

Esclarecer essa questão é muito importante para quem começa a analisar a possibilidade de entrar em uma Universidade. No meio de tantas outras dúvidas, saber qual o modo mais conveniente de estudo pode ser decisivo para a escolha.

Por isso, vamos abordar 7 mitos sobre a educação a distância e mostrar a verdade sobre cada um deles.

EAD: origem e reconhecimento

A educação a distância deve sua origem aos cursos por correspondência, que aqui no Brasil já eram oferecidos desde os primeiros anos do século XX. A princípio era voltada para o aperfeiçoamento profissional, com entidades como o Instituto Universal Brasileiro ganhando destaque na área.

A evolução dos meios de comunicação foi aproximando este tipo de metodologia da academia. Já na década de 1990, algumas Universidades começaram a utilizar a internet, ainda em sua infância, para disponibilizar materiais e formalizar iniciativas EAD.

A legislação brasileira sobre o tema começou a ser construída pelo Ministério da Educação (MEC) a partir de 1996. Com mecanismos bem definidos de reconhecimento e fiscalização, a educação a distância passa a ter garantias de qualidade nos cursos ofertados.

7 mitos sobre a educação a distância

Apesar de tudo isso, a popularização desse tipo de graduação não foi acompanhada de mudança na percepção delas como curso inferior, ou secundário. É isso que ainda sustenta muitos mitos sobre a educação a distância.

Confira alguns deles e a situação real:

  • Formados em EAD são menos valorizados: o mercado evoluiu a ponto de estar mais interessado no que o profissional sabe fazer, não onde ele estudou. E a EAD é uma forma de ensino que prioriza o aperfeiçoamento de competências muito requisitadas, como autonomia, comprometimento e capacidade de organização;
  • EAD não funciona em cursos práticos: a maioria das graduações EAD oferecidas tem, sim, carga mais teórica, mas isso não significa que é a única aplicação desta metodologia. Para atender cursos com mais carga prática, como as Engenharias, aumenta-se o número de aulas presenciais, nos polos ou unidades da Universidade;
  • EAD é uma forma de aprendizagem solitária: muito pelo contrário! Apesar de não ter tanto contato cara a cara, a educação a distância permite interação entre alunos e professores por meio dos ambientes virtuais de aprendizagem. Bem aproveitados, os fóruns de discussão podem ser tão enriquecedores quanto uma sala de aula;
  • O currículo da EAD é diferente do presencial: a carga horária e a estrutura curricular da EAD devem seguir as mesmas diretrizes do MEC para o ensino presencial. Por isso, mesmo as adaptações feitas para adequar o curso na modalidade de educação a distância devem respeitar normas referentes ao conteúdo ofertado;
  • Cursos EAD têm menor qualidade de ensino: outro mito sobre a educação a distância. A EAD está sujeita às mesmas regras de estruturação e fiscalização do ensino superior presencial. Isso significa que as avaliações aplicadas também têm os mesmos critérios para ambos. Antes de fazer sua escolha, vale a pena avaliar a qualidade da Universidade observada;
  • EAD é apenas a aula em vídeo: mais um fato inverídico. A videoaula serve como aula expositiva. Mas, assim como em um curso  presencial, outros materiais são utilizados para preparação pré-aula, além de exercícios para praticar o que foi ensinado. A isso são acrescentados ainda debates e outras formas de interação virtual. Vale lembrar que as avaliações do ensino a distância não são feitas remotamente. O aluno precisa comparecer à Universidade ou a um polo presencial;
  • Diploma EAD é diferente do diploma presencial: preocupação de muitos, diretamente relacionada ao primeiro dos mitos sobre a educação a distância que discutimos nessa seção. Porém, é outro pensamento que deve ser desconstruído. O diploma de uma graduação a distância é o mesmo de uma presencial. Não existe nenhuma diferenciação ou anotação especial para separar um do outro.

Mitos sobre a educação a distância - avaliações

Vantagens da EAD

Agora que já sabe a verdade acerca desses mitos sobre a educação a distância você tem mais tranquilidade para considerar essa modalidade, não é mesmo?

Então é hora de conhecer também os pontos fortes da EAD! Veja só a seguinte lista com os principais motivos que mostram como ela vale a pena:

  • Flexibilidade: o principal benefício da EAD é você ser capaz de montar o seu próprio cronograma de estudo. É possível acessar os conteúdos na hora que for mais conveniente, levando em conta suas outras obrigações. Perfeito para quem trabalha mas ainda assim pretende continuar sua capacitação;
  • Melhor preço: além de ser o curso que mais se adapta às suas necessidades, a EAD também tem vantagens econômicas. Como a Universidade pode abrir mão de parte da sua estrutura física para atender a esses alunos, a mensalidade também é mais barata. E já que você não precisa ir a aula todos os dias, gastos como transporte e alimentação são reduzidos. Mais fácil de caber no seu bolso;
  • Mais professores e tutores para tirar dúvidas: uma vantagem que vai de encontro aos mitos sobre a educação a distância. A estrutura da EAD exige um número de tutores, profissionais responsáveis por acompanhar o aprendizado do aluno, seja tirando dúvidas ou incentivando o estudo por meio de conteúdos extras. Diferença marcante em relação ao ensino presencial, onde o aluno precisa disputar horários com vários outros interessados se quiser ser atendido pelo professor.
  • Conteúdo sempre disponível: mesmo sendo você o responsável por sua programação, alguns contratempos podem surgir no dia a dia. Mas a EAD permite que eles sejam contornados sem muitos problemas. O material das aulas está sempre a seu dispor, portanto, é muito simples se colocar em dia com qualquer conteúdo que tenha ficado para trás.

Venha para a EAD!

Apesar de ter origem histórica bem definida, a EAD ainda é cercada de preconceito. Conhecer o que é verdade e quais são os mitos sobre a educação a distância é um dos pontos mais importantes para quem está pensando em continuar seus estudos utilizando essa metodologia.

Ficou interessado? Conheça os cursos EAD da Uniube e seja você também mais um dos alunos desta Universidade tão tradicional.

Escrito por Letícia, da Uniube