Letícia, da Uniube - jan 31, 2019

Prouni: 4 passos para se inscrever e conseguir uma bolsa

O Enem foi apenas o primeiro passo. Com a nota do exame, é hora de escolher a Universidade que você irá cursar. O Prouni é fundamental nesse momento. Com ele, é possível que você ganhe uma bolsa.

O programa tem critérios próprios. Além da pontuação do Enem, leva em consideração ainda a renda familiar per capita. Durante o processo, você consegue também acompanhar a nota de corte dos cursos selecionados, atualizada diariamente, e até trocar as suas opções.

Ainda em dúvida sobre como o Prouni funciona e o que você deve fazer para se inscrever? Veja tudo o que você precisa saber para conquistar uma bolsa. Acompanhe!

O que é e como funciona o Prouni

O Prouni, ou Programa Universidade para Todos, foi criado em 2004 como um incentivo do governo federal ao ensino superior. Com ele, estudantes de baixa renda podem receber bolsas de estudo em Universidades particulares.

Para se candidatar ao Prouni, é preciso satisfazer ao menos uma das seguintes condições:

  • ter cursado o ensino médio em escola pública ou em escola privada com bolsa integral;
  • ter estudado, no ensino médio, parcialmente na rede pública e na rede privada, com bolsa integral na privada;
  • ser pessoa com deficiência;
  • ser professor da rede pública de ensino básico.

Além disso, é necessário se enquadrar nos critérios socioeconômicos, calculados a partir da renda familiar bruta per capita. Por exemplo, aqueles que têm ganhos abaixo de 1,5 salário mínimo podem receber bolsas integrais.

No caso dos professores, o programa contempla apenas integrantes do quadro efetivo de uma escola, que desejam se inscrever em um curso de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Essa modalidade dispensa a análise da renda familiar.

Como calcular a renda familiar per capita

Esta conta é muito fácil. Comece somando a renda individual de todas as pessoas que moram na mesma casa. Divida o valor pelo mesmo total de moradores e compare com o salário mínimo em vigor.

Essa análise permite saber se você pode participar do Prouni e o tipo de bolsa a ser concedida.

Diferença entre Prouni, Fies e Sisu

Algo que pode gerar muita dúvida é a sopa de letrinhas que a gente lê nesse processo de matrícula na Universidade. Prouni, Fies, Sisu: o que é tudo isso?

Para simplificar, vamos explicar cada uma destas siglas e o que elas significam.

Sisu

O Sistema de Seleção Unificada é a plataforma gerenciada pelo Ministério da Educação (MEC), para matrículas nas instituições públicas de ensino superior. Nele você pode escolher até duas opções de vagas ofertadas nas universidades participantes, utilizando a nota obtida no Enem.

Prouni

Outra opção de entrada na graduação, o Programa Universidade para Todos atende a estudantes que procuram vagas em instituições privadas de ensino superior. O objetivo é dar oportunidade a estudantes de baixa renda que tenham interesse em continuar os estudos, mas não conseguiriam bancar seus estudos. Aqui, a nota do Enem também é um dos critérios de seleção.

Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil é outro programa gerenciado pelo MEC. A diferença é que ele lida com estudantes já matriculados em um curso superior.

O Fies não oferece bolsas de estudo, como o Prouni. O próprio nome já dá a dica, é um modo de financiamento: durante o curso, o aluno contemplado faz apenas pagamentos reduzidos, referente aos juros do contrato. Depois de formado, e passado um período de carência (18 meses), deve começar a liquidar o saldo devedor — dividido em até três vezes a duração regular do curso.

Participantes do Prouni que tenham recebido bolsa parcial também podem utilizar o Fies em conjunto. Porém, são programas distintos, com diferentes processos e obrigações durante a sua validade.

Prouni - como conseguir bolsa

Passo a passo para a inscrição no Prouni

Agora que você já entende cada programa, como fazer a sua inscrição no Prouni? O processo tem algumas etapas, mas é bem simples de entender.

  • Acesse o site do Prouni: uma vez aberto o prazo de inscrições, basta ir até o site do Prouni para começar o processo. Você precisará do mesmo número de inscrição e senha utilizados para o Enem. Se você perdeu uma dessas informações, é possível acessar a Página do Participante do exame e conferir o número ou redefinir a senha.
  • Preencha o questionário: já dentro do portal, você deve conferir seus dados pessoais e completar um questionário com informações sobre o sistema de cotas, vagas para pessoas com deficiência, escola em que cursou o ensino médio e se está atualmente matriculado em uma universidade pública.
  • Informe a renda familiar: o passo mais trabalhoso é adicionar todas as pessoas que fazem parte do seu grupo familiar, confirmando dados pessoais e de ganhos para cada uma delas. É com base nessas informações que será calculada a renda familiar per capita.
  • Escolha o curso: por último, é hora de selecionar os cursos desejados. Você pode apontar duas opções, em ordem de preferência. Fique atento às informações de turno e se deseja disputar a vaga pelo sistema de cotas ou pela modalidade de ampla concorrência. Também é necessário especificar se já é aluno daquela instituição ou não.

Uma boa dica é verificar a nota de corte dos cursos no ano anterior, assim como acompanhar a evolução dessa pontuação no sistema durante o período de inscrição: ela é atualizada diariamente. Dessa forma, você evita desperdiçar uma escolha. É possível alterar os cursos selecionados até o último dia, sem prejudicar as suas chances.

Sua carreira começa aqui!

Você batalhou o ano todo para o Enem. Tudo por esse momento: começar um curso de graduação. A inscrição no Prouni é uma das últimas etapas e temos certeza que você vai tirar de letra este desafio.

Para quem ainda tem aquela pulga atrás da orelha, a informação de última hora pode ser decisiva na escolha da sua futura profissão. E a Uniube está aqui para ajudar.

Acompanhe dicas de carreira no Facebook e no Instagram da Uniube. Você vai ficar sabendo mais sobre os cursos que a Universidade oferece e o mercado de trabalho de cada um deles!

Escrito por Letícia, da Uniube